Nanico e Bia

O amor é que dá sabor ao saber
O saber sem sabor, não tem valor
Das brincadeiras do ensinar e do aprender
Maior prazer é desfilar na Sá Pereira

Balança o Véu de Maya
É tudo fantasia
Dá um zoom na Deusa Gaia
Nossa alegoria
Se a ciência da incerteza me levar
Vou navegar no imenso mar da poesia
Eu quero ver, ouvir e experimentar
Quero viver pra valer

Quem diz muito que sabe, não sabe
Só acha que sabe e não sai do lugar
Sabe muito menos que o rio que cai noutro rio e corre pro mar
Todos nós somos filhos da Terra
Rio, pedra, semente e flor
Vi as coisas da minha janela
Divina aquarela
É a lente do amor A lente do amor