Fernando Del Papa

Sá, Sá, Sá Pereira
Balança o esqueleto
Da cabeça aos pés.

Coração pulsa feito um tambor
Nas veias corre a poção do amor
O corpo é uma viagem
Estampa a tatuagem.

A pele carrega a memória
Onde grava a história
E fecha a cicatriz.

A cor orgulho da raiz
Meu canto é tradição
E bora ser feliz.

Ô, ô, ô, ô
Hoje o samba se libertou
Ô, ô, ô, ô
Ele é dono do corpo e do amor.

Gesto é o corpo em movimento
Choro é ele em forma de lamento
Vamos bater palmas
E a voz no fundo entoa meu enredo.

O corpo fala
O corpo sente
O corpo ouve
O corpo mente
A alma vive nesse corpo a corpo
Mas o carnaval não sai da gente.