Wilson Leal e Cristina Rocha

Nessa escola, tem história, a conversa é uma ‘orquestra’.
O ‘cavaco’ é uma escuta musical.

Sempre expresso sentimento, muito som e movimento,
E a cultura nas batidas do tambor.

Com desenhos e com gestos, eu também me manifesto, eu conheço os sinais…
A memória das cavernas, nos ‘stories’, hoje em dia, ‘tá nas redes sociais.

A mensagem de fumaça me avisou que a palavra o papiro registrou.
Mas não pode ser mordaça, nem arma que ameaça,
Só um verso de amor… só um verso de amor.

Se a linguagem radical problema for, a nossa voz responde poema e flor.
A vogal compõe o tema, salve o sistema
‘colóquio’ nesse carnaval, ´colóquio’ nesse carnaval.

Com a bateria, todo bloco comunica, em cada esquina faz um ‘post’ ‘circular’.
Tome cuidado em tudo que se clica, muita mentira rolando no celular.

Fantasia social, mascarado digital,
Vem p’ra rede debater, p’ra verdade aparecer.

‘Fake news’ não é de brincadeira,
Aperta a tecla ‘sap’, Sá pereira!
O ‘invisível’ me fez enxergar
‘É impossível não comunicar’

‘Fake news’, não é de brincadeira,
‘Whatsapp’, Sá pereira?
O ‘invisível’ me fez enxergar
‘É impossível não comunicar’ Whatsapp, Sá Pereira? É Impossível não Comunicar